Jan 27, 2019 Média

Para um local de trabalho digital

Cinco Días

27/01/2019

Por Luis del Barrio, Diretor de Marketing e Relações Externas da The Mail Company

No curto e médio prazo, os avanços mais relevantes em TIC já seriam incorporados ao nosso desktop.

A consultoria de TIC dimensiondata.com apresentou no final de 2018 os resultados de uma pesquisa sobre como as organizações estavam evoluindo para um ambiente de trabalho digital. A consultoria entrevistou 850 executivos seniores de 15 países, especificamente CEOs, CIOs e Gerentes de TI, responsáveis ​​por fazer mudanças em suas organizações com base na tecnologia. As principais conclusões da pesquisa são as seguintes.

Em primeiro lugar, as empresas consideram que a adoção de novas tendências nos espaços de trabalho irá beneficiá-las. As grandes corporações consideram que devem estar alinhadas com as demandas das diferentes gerações que ocupam esses espaços todos os dias. Isso vai do “não-nativo digital” para os funcionários de 3,0 e, claro, para a nova maneira de trabalhar: face a face, blended, teletrabalho, por projetos, etc.

Uma segunda conclusão foi que 40% das empresas reconheceram uma estratégia definida de sua inter-relação com as novas tecnologias. Embora 70% das empresas pesquisadas sejam responsáveis ​​pela TI que lidera essa mudança, o restante dos diretores, especialmente CEOs, disse que os CIOs estavam envolvidos. Por região, 95% das empresas européias disseram que até 2020 teriam uma estratégia definida para um Digital Workplace.

Uma terceira conclusão do estudo de dimensiondata.com indicou que no curto e médio prazo os avanços mais relevantes em TIC já seriam incorporados em nossa mesa de trabalho. Se a nuvem já é uma realidade, em breve eles serão: Data Mining, Realidade Aumentada, Blockchain, Inteligência Artificial, IoT, BOTs, Micro-aprendizado. O conceito Workplace Analytics surge como um indicador para verificar se os processos de mudança realizados na empresa são eficientes ou não.

O quarto aspecto notável tinha a ver com mobilidade. 50% das empresas dizem que a proliferação de dispositivos móveis e sua usabilidade em questões trabalhistas aceleraram a transformação digital de espaços de trabalho. 42% dos entrevistados indicaram que os dispositivos móveis vão supor um aumento significativo nos processos de negócios. É claro que os executivos apontaram que o desafio da segurança e atualizações desses dispositivos era uma de suas principais preocupações.

O quinto é a integração. 78% das empresas europeias salientaram que precisavam de apoio externo na concepção e execução dos seus projetos de locais de trabalho digitais. Entre os mais exigidos estará o gerenciamento de informações e documentação; logística interna e externa; implementação de soluções; planejamento e estratégia; engenharia e gerenciamento; e, finalmente, arquitetura.