e-Box, a nova solução da The Mail Company para o gerenciamento de remessas privadas (e-Commerce) em corporações e edifícios de escritórios

e-Box The Mail Company

A recepção da parcela pessoal (e-Commerce) que os funcionários recebem em seus locais de trabalho é um fenômeno crescente que supõe uma despesa extra para muitas organizações e um desafio de gerenciamento para muitos serviços de correio não dimensionados para enfrentá-lo, nem logisticamente nem tecnologicamente.

Um fenômeno que só aumenta. Segundo dados de julho passado da Comissão Nacional de Mercados e Concorrência (CNMC), o comércio eletrônico na Espanha atingiu 40.000 milhões de euros em 2018, 29% a mais do que em 2017, e durante o quarto trimestre de 2018 esse número de transações ultrapassou 205 milhões, o que representa 33,2% a mais. E com a previsão de que esses números aumentem durante 2019

Tanto que, há alguns anos, em mercados mais maduros do comércio eletrônico como os britânicos, algumas grandes empresas como HSBC, Citigroup ou JP Morgan decidiram banir diretamente remessas privadas que seus funcionários recebiam em seus escritórios em Londres. Isso aconteceu em 2015 e eles o fizeram até encontrar uma solução que não colidisse com a aplicação de uma medida de reconciliação e retenção de talentos em que muitas empresas estão apostando hoje.

Para responder a essa necessidade, a The Mail Company lança sua solução de gerenciamento de comércio eletrônico em empresas e edifícios de escritórios: e-BOX. A única solução no mercado independente, integral e integrada.

Solução independente, integral e integrada
O e-BOX é independente e integrada, pois permite gerenciar qualquer expedição, independentemente de quem seja o vendedor (Marketplace) ou a transportadora (agência de transporte), em comparação com outras opções restritas do mercado.

Também é integrada porque faz parte da tecnologia exclusiva de gerenciamento de correio GIO, criada inteiramente pela The Mail Company, que garante total rastreabilidade, segurança e controle da remessa, além de todos os procedimentos para gerenciar efetivamente os diferentes cenários isso pode ocorrer. Portanto, com o e-BOX, os fluxos de comércio eletrônico são totalmente integrados à logística de correio projetada pela The Mail Company (ou a solução e-Reception no caso de propriedades menores) a partir da qual são gerenciados os processos de recepção, depósito e cobrança, resolvendo de maneira simples e eficaz algo em que uma ampla cadeia de suprimentos está envolvida.

Como funciona o e-BOX?
A solução e-BOX consiste na instalação de armários independentes (em áreas de fácil acesso para os usuários e dentro do edifício), conectados à plataforma de gerenciamento da The Mail Company (GIO). Cada pacote recebido é registrado no sistema, que atribui automaticamente um código QR e um local no armário.

O destinatário recebe imediatamente uma notificação (por e-mail ou sms) com o código atribuído, o que lhe permite abrir e pegar seu pacote de forma conveniente. Isso fornece total segurança no processo, elimina a possibilidade de perda e alta de trabalho ou responsabilidade para as áreas de Facilidades (Mailroom, Recepção, etc.). Junto com isso, os armários têm um layout modular, com armários de tamanhos diferentes, e podem ser usados ​​dentro do horário de funcionamento da propriedade.

Outra grande vantagem do e-BOX é que os armários podem ser colocados dentro das instalações do cliente – uma vez que a solução é integrada aos processos de logística interna da propriedade, como indicamos – com as vantagens correspondentes: maior acessibilidade e mais segurança, pois evita possíveis roubos e danos, além dos derivados de intempéries.

Luis del Barrio, diretor de relações externas da The Mail Company, observa que “as lojas de correio de muitas empresas não são dimensionadas para gerenciar o comércio eletrônico que recebem ao longo do dia. A e-Box resolve essa situação, pois é a maneira mais eficiente e segura de entregar remessas pessoais a seus funcionários e será algo cada vez mais necessário se as vendas on-line continuarem a crescer na taxa atual em nosso país, onde ainda não o fizeram. Atingiu a maturidade.